Volta para a capa
Mário de Andrade

Autoria              -                 Orientação     -        Grau  -   Local   –   Data CAMBEIRO, Marilene F.       Helena P. Cunha           Dr.         UFRJ       2002

Título: Vida e arte: uma psicobiografia estética de Mário de Andrade

Sinopse: Vida e obra do escritor Mário de Andrade, o percurso do sujeito em busca de um saber sobre a verdade, sobre o inconsciente, sobre a cultura brasileira e sobre o humano. Entrelaçamento do seu pensamento com os saberes do seu tempo. Destaque para o saber da Psicanálise nas formulações estéticas e elaborações psíquicas, através da obra literária e do imenso epistolário.

                     ___________________________________

Autoria              -                  Orientação    -           Grau  - Local -     Data PEIXOTO,  Fabiana L.       Carmen L.T.R. Secco          Ms.       UFRJ       2001

Título: Os fios da voz no limiar da escrita: uma possibilidade de leitura comparada de Macunaíma e Rio Seco

Sinopse: A recriação de formas artísticas orais na escrita dos romances Macunaíma, de Mário de Andrade, e Rio seco de Manuel Rui: a construção de identidades em espaços de fronteira e a liberação de vozes silenciadas por processos históricos perpassados pelo signo da opressão. A utilização de uma perspectiva teórica questionadora de discursos unívocos e a possibilidade de leitura dos interstícios dos discursos oficiais.

                          __________________________________

Autoria               -                Orientação   -       Grau     -    Local  -    Data

MAJOR NETO, José E.        Iumna Maria Simon      Dr.           USP          2007

Título: A 'Lira Paulistana' de Mário de Andrade: a insuficiência fatal do outro

Sinopse: O objetivo deste trabalho é analisar o último livro de poesia de Mário de Andrade, Lira Paulistana, com especial atenção para o longo poema A meditação sobre o Tietê, cujo aspecto mais importante é a figuração do estado de derrelição da voz poética, manifestado num permanente efeito de pungência em todo o poema. A derrelição é fruto da percepção de uma impossibilidade experimentada como contradição insolúvel de encontrar a alteridade autêntica e, por meio dela,o sentido da própria identidade. A raiz desse conflito é social. Pela análise do poema, procura-se demonstrar que a contradição insolúvel encontra sua formalização literária no limiar da morte.

                   _______________________________________

Autoria                -              Orientação    -            Grau  -  Local   –  Data

SILVA, Ronaldo O.           Rita de Cássia Santos       Ms.        UNB       2001

Sinopse:

                  ________________________________________

Autoria                   -              Orientação      -    Grau    -  Local   -   Data 

POSTAL, Ricardo                   Ana Maria L. de Mello        Dr.          UFRGS         2007

Título: Arlequimia mariodeandradeana

Sinopse: O presente trabalho é uma interpretação crítica da prática artística de Mário de Andrade que interroga como a apropriação da figura do Arlequim, que atravessa sua obra, é transformada numa proposta estética e numa conformação de artista. É realizado um panorama histórico da formação da Commedia dell¿arte e conceitualiazam-se suas principais máscaras e personagens. Centra-se então a atenção na figura do Arlequim para analisar, a partir de suas fontes folclóricas, ritualísticas e iconográficas como ela ganha características diabólicas, animalescas e intermediárias entre mundos diversos (o selvagem e o urbano, o além e o terreno, etc.) Estuda-se a escolha de Mário de Andrade por essa ¿máscara¿ e do que ela significa no contexto da recorrência do fenômeno do ¿artista enquanto saltimbanco¿ na arte européia, acompanhando sua intensificação nas vanguardas (cubo e futurismo bem como no movimento Dada). Olhando para o modo como a crítica percebeu o Arlequim dentro da escrita de Mário de Andrade, dialogamos com esses aspectos e propomos uma ampliação do significado dessa figura, vendo-a como fundamento do ato improvisado de escrever e representar uma arte e uma identidade cuja totalidade seria impossível ainda no Brasil. Parte-se para a análise específica de Macunaíma, obra cuja feição rapsódica indica já a proximidade com o improvisar de várias fontes símile à prática arlequinal da Commedia dell¿arte. Além do aspecto da narrativa, se elencam outros elementos que aproximam o herói indígena do trabalhador braçal italiano, principalmente o caráter intermediário do ser diabólico que atravessa mundos, conectando duas realidades diversas. É ressaltado o traço do embate entre a nova e a velha geração, presente tanto nas apresentações da Commedia dell¿arte, na prática dos charivari, bem como na criação de Macunaíma. Abordada através de uma perspectiva da crítica do imaginário, a obra pretende ser compreendida como um conjunto de imagens que gera uma figura central, a guiar a poética do artista, simbolizando nela a simbiose que Mário de Andrade propõe entre estética, práxis e vida.

                    ________________________________________

Autoria                   -                Orientação        -     Grau  -  Local  - Data 

MACHADO, Cristiane M.     Maria Luiza B. da Silva              Ms.          UFRGS    2008

Título: Poética do lugar em ‘O Turista Aprendiz’, de Mário de Andrade, ‘Angústia’, da Graciliano Ramos, e ‘Tristes Tópicos’, de Claude Lévi-Strauss

Sinopse:

               __________________________________________

Autoria             -                      Orientação        -       Grau -  Local  - Data

GEBRA, Fernando de M.      Raquel Illescas Bueno          Dr.      UFPR   2009

Título: Identidades intersubjetivas em contos de Mário de Andrade

Sinopse:

             ______________________________________________

Autoria             -      Orientação           -         Grau         -  Local   -   Data

PAULA, Adna Candico de   Suzi Franki Sperber   Ms.         UNICAMP    2002

Título: A Jorobabel Marioandradina : poesia e crença

Sinopse: A proposta desta pesquisa concentra-se na análise da questão da religião, da religiosidade e do sagrado na obra poética de Mário de Andrade considerando, fundamentalmente, a construção que o próprio poeta faz para esses conceitos. Esta construção obedece ao antropofagismo avant-la-lettre e ao ecumenismo marioandradino. Este fato é identificado, primeiramente, na análise de parte da correspondência de Mário de Andrade, para, enfim, ser apreendido nos poemas. o corpus literário deste trabalho é composto por cinco poemas paradigmáticos da questão: "Jorobabel", "Domingo", "Religião", "Carnaval Carioca" e "A Meditação sobre o Tietê". A análise destes poemas, seguindo esta ordem, identifica uma progressão temática tanto da poesia quanto dos conceitos analisados. À medida que a poesia de Mário de Andrade vai se tomando mais densa, mais "madura", a "sua" religiosidade segue movimento similar. Finalmente, tendo estabelecido uma série de idéias e conceitos relacionados ao tratamento que o poeta concede à religião, à religiosidade e ao sagrado, este trabalho oferece material para leituras futuras da obra poética de Mário de Andrade.

           _____________________________________________
Autoria                 -             Orientação        -        Grau -  Local  -     Data

MAJOR NETO, José E.        Iumma Maria Simon          Ms.  UNICAMP    2001

Título: Contos novos : idilio em fragmentos

Sinopse: Este trabalho se propõe a analisar Contos Novos de Mário de Andrade, demonstrando a elaboração particular que autor desenvolve no processo moderno de representação literária, que consiste basicamente em dois aspectos: o emprego de elementos musicais como princípio de construção e a releitura, em tom paródico, da tradição literária tanto brasileira quanto européia, em especial pela assimilação dos elementos constitutivos do bildungsroman.

           ______________________________________________

Autoria               -              Orientação          -        Grau   -   Local  - Data

MORAES, Ricardo Gaiotto     Antonio A. Prado          Ms.     UNICAMP  2007

Título: Mario de Andrade no Diario de Noticias : o metodo e a critica circunstancial

Sinopse: Os anos de 1939 e 1940 marcam não só o "exílio" de Mário de Andrade no Rio de Janeiro, mas também uma nova etapa em sua atividade intelectual: a crítica de circunstância. Entre março de 1939 e setembro de 1940, com periodicidade semanal, o autor de Macunaíma passa a ser responsável pela coluna "Vida Literária" no jornal carioca Diário de Notícias. Os artigos desta coluna foram publicados em livro de maneira esparsa em Aspectos da Literatura Brasileira (1943) e O Empalhador de Passarinho (1944), ambos organizados pelo próprio autor, e em Vida Literária (1993), livro comentado e reunido por Sonia Sachs. A partir da leitura do conjunto da coluna "Vida Literária", pode-se perceber que a crítica não se estabelece por uma entrada obrigatória e metódica para os diferentes gêneros literários, mas sim pela mobilização de certas categorias que, muitas vezes, perpassam vários artigos. Longe de estabelecer um critério fechado, essas categorias permitem flagrar não só as preocupações do crítico em relação à produção literária contemporânea, mas também as elaborações estéticas caras a ele. Nesse sentido, o fio condutor da crítica parece ser a tentativa de identificar a realização daquilo que considera o essencial da obra literária, ou seja, a técnica. Esta preocupação aparece também em sua atividade de professor do ?Curso de Filosofia e História da Arte?, na Universidade do Distrito Federal. A crítica de ?Vida Literária? tem notável repercussão entre os autores contemporâneos, o que, em parte, já aponta seu caráter polêmico e, em certo medida, didático. Assim, por meio de uma criteriosa análise da contribuição de Mário de Andrade na coluna em questão, buscou-se tratar das linhas mestras da crítica, levando-se em consideração a especificidade do rodapé literário, a totalidade de textos críticos do autor, outros estudos estéticos ? como as aulas do curso supracitado ? e o respectivo panorama literário.

                 _____________________________________________

Autoria             -                   Orientação        -        Grau -  Local  -   Data

PAULA, Adna Candido de      Suzi Frank Sperber        Dr.    UNICAMP  2005

Título: Poesia e alteridade : a outra margem marioandradina

Sinopse: Este trabalho tem por objetivo apresentar o resultado de sete anos de pesquisa acerca da obra poética de Mário de Andrade. O percurso iniciou-se ainda na graduação e atingiu sua maturidade na presente tese, onde, através de uma leitura analítica, busco apresentar o que denomino "o elemento forte da poesia marioandradina"- a alteridade.Proponho uma leitura críticana qual demonstro que a alteridade, no sentido amplo que essa poética lhe confere, se configura como o ponto de referência da orientação ética presente nos poemas. O trabalho é dividido em duas partes, tratando a primeira da produção teórica de Mário de Andrade, acerca da concepção da obra de arte literária, e a segunda promovendo uma leitura crítica dos poemas. Mesmo divididas, o diálogo entre teoria e prática é mantido no decorrer de todo o texto. Outrossim, esta pesquisa se insere no âmbito mais amplo da discusão acerca da ação humana e das implicações éticas aí presentes.

              ______________________________________________

Autoria                 -                    Orientação      -     Grau -  Local  -   Data

BARSALINI, Maria S. Ianni      Carlos E.O. Berriel        Ms.     UNICAMP 2003

Título: Sobre Mario de Andrade e a sua paulistanidade : uma reflexão

Sinopse:

                _____________________________________________

Autoria          -                    Orientação       -      Grau  -  Local    -     Data

SCHIRLO, Denise Aparecida    Raul Antelo              Ms.      UFSC         2002

Título: Tradição e memória na poética de Mário de Andrade

Sinopse: Esta dissertação tem como objeto de estudo os conceitos de tempo e memória desenvolvidos em textos metapoéticos preparatórios de Mário de Andrade, isto é, o Prefácio interessantíssimo e A escrava que não é Isaura. Ambos fazem pare do corpus literário desta pesquisa, de forma mais enfática, do primeiro e do segundo capítulos, embora apareçam a seguir. Interessa-nos, também, investigar a partir dos referidos textos as teorizações voltadas à atualização da estética de Mário de Andrade, em contraposição às técnicas realistas de composição e à temática decadentista. Com base nesses estudos, problematizaremos, então, questões referidas ao universo conceitual da rapsódia que, de antemão, configuram-se nos textos supracitados. Por conseguinte, no terceiro capítulo, analisaremos como se configura a formação da nova estética no arcabouço conceitual  de Macunaíma, tendo em vista um contexto antiocularcêntrico como pano de fundo para análise das experimentações estéticas vanguardistas na obra de Mário de Andrade. Fazem parte do corpus literário desse capítulo: os prefácios inéditos e as considerações em carta, ou seja, a discussão travada como intelectuais modernistas brasileiros, durante a gestação da rapsódia, bem como o próprio texto que servirá de norte para discussão e comprovação de determinadas teorias, inicialmente, expostas em cartas ou nos prefácios inéditos.

                   ________________________________________

Autoria              -                Orientação         -          Grau  -  Local -  Data

KLAMT, Valdemir         Tereza Virginia de Almeida       Ms.        UFSC    2003

Título: O intelectual Mario de Andrade

Sinopse: Esta dissertação aborda o intelectual Mário de Andrade, sua produção literária e a atuação em instituições culturais. Entendemos que o intelectual paulista elabora, em sua obra, uma política consistente. Abordaremos, especificamente, a atuação no departamento de Cultura do município de São Paulo e o texto do anteprojeto do patrimônio histórico e artístico nacional, escrito a pedido do Ministro Gustavo Capanema. Repensar a produção literária, a cultura na modernidade e no período estadonovista  através de Mário de Andrade é o objetivo da dissertação. Mário propõe uma atitude estética e utilitária pra a arte. Solicita ação política para os intelectuais comporem a identidade nacional e inventa a imagem plural do país. A dissertação, também, trata da ação dos modernistas na repartição, suas relações com o poder, a política de nacionalização e a oficialização da cultura como um negócio do Estado. Macunaíma percorre toda a dissertação porque o anteprojeto e todas as obras de Mário de Andrade compõem uma imagem de país plural, fragmentado, aberto, descentralizado, próximo e compatível com a realidade que Mário conheceu através das viagens e estudos que fez do país. Mostraremos Mário de Andrade como um exímio pensador de políticas culturais ainda superado na contemporaneidade.

                ____________________________________________

Autoria              -               Orientação         -          Grau  -  Local  -  Data

FARIA, Ana Maria Reis      Margarida S. Neves            Ms.     PUC/RJ   2003

Título: VIAGENS DA FIANDEIRA: A NARRATIVA DE O TURISTA APRENDIZ E A ESCRITA MEMORIALÍSTICA DE MÁRIO DE ANDRADE

Sinopse: Em 1927, o escritor modernista Mário de Andrade (1893-1945) partiu da sua São Paulo para o Norte do país, a fim de conhecer e dar a conhecer um Brasil pouco explorado, muitas vezes homogeneizado na literatura de escritoresviajantesque o antecederam em empresa semelhante. Simbolicamente, o que resultou desta experiência foram notas que só viriam a ser coligidas em uma versão para-definitiva, provavelmente por volta de 1943. Sob a forma de um diário, a narrativa sobre a experiência da viagem pelo Norte compõe a primeiraparte do livro O turista aprendiz, publicado na década de 70. Este trabalho tem por finalidade verificar as tensões entre essas duas camadas de tempo: o presente da reescrita e o passado como experiência da descoberta. Esta narrativa em palimpsesto, extremamente fragmentada, carecendo do apuro final de seu escritor, fez com que privilegiássemos os seus detalhes, alegorias, inflexões e, sublinhássemos as contradições e a ironia do pensamento

                ____________________________________________

Autoria              -                Orientação         -          Grau  -  Local -  Data

NUNES, Ana Rosa de M.    Joselita B.S. Lino                Ms       UFRGN   2006

Título: Modernismo e tradição da oralidade na poesia: uma leitura de Clã do jabuti, de Mário de Andrade, e Catimbó, de Ascenso Ferreira

Sinopse: Estudo sobre os livros Clã do jabuti, de Mário de Andrade, e Catimbó, de Ascenso Ferreira, publicados no ano de 1927. Dentro do contexto do Modernismo nos anos de 1920, evidencia-se a filiação dos poetas com as tendências literárias modernista e regionalista. Isso se confirma pelos elementos introduzidos em suas poesias, nas referidas obras, que trazem o sentido de brasilidade discutido na época, especificamente no momento pós-1924. Tais elementos se referem às marcas da oralidade que foram aproveitadas esteticamente nos referidos textos, no tocante à representação que possuem no âmbito da tradição da cultura popular brasileira. Nesse sentido, foi estabelecida uma relação entre a moderna literatura nacional e a tradição da cultura popular. Os textos observados mostram a diversidade cultural do país por meio de tais marcas, distinguindo-se pelo aspecto nacionalista de Mário de Andrade, em consonância com o projeto de nação idealizado, e pelo aspecto nacionalista/regionalista de Ascenso Ferreira, indo ao encontro de elementos nacionais e regionais. Sendo assim, Clã do jabuti é um repertório de todo o Brasil e representação da cultura nacional, de acordo com a brasilidade proposta a partir de 1924; e Catimbó é a cristalização poética, em tons de uma brasilidade mais nordestina, das particularidades da região

               ____________________________________________

Autoria              -                Orientação         -          Grau  -  Local -  Data

SILVA, Anderson Pires da       Julio Cesar V. Diniz        Dr.      PUC/RJ  2006

Título: MÁRIO E OSWALD: UMA HISTÓRIA PRIVADA DO MODERNISMO

Sinopse: Este trabalho pretende traçar a recepção da escrita de Mário de Andrade e Oswaldde Andrade entre os anos de 1945-70, a criação de uma consciência nacional e umaescrita de vanguarda, tendo em vista a eleição de ambos ao patamar de alto modernismo.A historiografia literária, orientada pela tradição nacionalista, localiza em Mário a síntesesuperior das propostas pós-22, relegando Oswald ao plano de terrorista cultural. OConcretismo, para viabilizar uma historiografia sincrônica, regida pelo padrão internacionaldas vanguardas, elege a poesia pau-Brasil como uma revolução estética, antecipadora dapoesia concreta, minimiza o papel de Mário, denominando-o reformador, ou nasentrelinhas, modernista conservador. A teoria concreta apresenta a antropofagia aoTropicalismo, que encontra nela o argumento teórico para justificar sua assimilação dacultura de massa como proposta de renovação e atualização cultural. Por um ou por outroviés, os modernistas são objetos construídos para legitimar o discurso nacionalista ou odiscurso internacionalista.

                ____________________________________________

Autoria              -                Orientação         -          Grau  -  Local -  Data

CAMARA, Andre Luiz P.L.   Roberto C. dos Santos       Ms.     PUC/RJ   2004

Título: NA ENCRUZILHADA DA LOPES CHAVES: ENCONTROS E DESCAMINHOS EM MÁRIO DE ANDRADE

Sinopse: Este trabalho objetiva apresentar aspectos do pensamento estético de Mário de Andrade, um dos principais participantes do movimento modernista no Brasil, e sua contribuição para a cultura brasileira, ressaltando a importância de seu encontro com outros escritores, especialmente o poeta Manuel Bandeira. Mário de Andrade, para muitos, teria sido um artista preso a uma reverência às tradições populares, sem realizar uma ruptura estética de fato, não sendo, portanto, um vanguardista. Percorremos aqui esses descaminhos do ideal estético-social de Mário de Andrade, expondo seu compromisso com a brasilidade e suas contradições, sua religiosidade, nele vendo características de um artista-pensador.

                ____________________________________________

Autoria              -                Orientação         -          Grau  -  Local -  Data

ALMEIDA NETO. Carlos G.    Renato Cordeiro Gomes   Ms.    PUC/RJ    2003

Título: TRAJETÓRIA E AFIRMAÇÃO: IDENTIDADE CUTURAL EM MARIO DE ANDRADE E CAETANO VELOSO

Sinopse: A dissertação propõe-se a comparar os poetas Mario de Andrade e Caetano Veloso,caracterizando este como seguidor de aspectos de um projeto de identidade cultural que se inicia com aquele,nos ideais do movimento modernista brasileiro, e que se transforma ao ser retomado na segunda metade do século XX. O confronto entre os dois poetas permite identificar características específicas da nação e o relacionamento do sujeito com o sistema cultural brasileiro.Apresenta-se a transformação do pensamento de ambos os artistas, através da análise de suas obras poéticas sob a perspectiva estético-ideológica. Busca-se, ainda,diferenciá-los pelas respectivas linguagens - poesia e música - ao mesmo tempo em que se coloca em pauta a união das culturas popular e erudita, que resultaria numa cultura híbrida.

                ____________________________________________

Autoria              -                Orientação         -          Grau  -  Local -  Data

CHRISTIAN, Dadie Kacou   Valentim A. Facioli               Dr.         USP    2007

Título: Um africano lê Macunaíma: uma interpretação da rapsódia de Mário de Andrade com base em elementos literários e culturais negro-africanos.

Sinopse: No âmbito da literatura brasileira, Macunaíma de Mário de Andrade é uma obra cuja complexidade formal é amplamente reconhecida. Para sua abordagem, tal complexidade leva geralmente à sondagem de duas fontes principais: a Europa (as vanguardas européias) e as culturas indígenas (explicação mítica). Nossa tese investiga essa questão formal, uma das preocupações da arte moderna, recorrendo a uma literatura periférica: a literatura negro-africana de língua francesa. Descobrimos que Mário de Andrade e o escritor negro-africano fundamentam-se na tradição e na oralidade para construir suas obras. Dessa forma, se estabelece uma coerência entre a obra de arte e a sociedade que a produz. O escritor brasileiro e os escritores negro-africanos coincidem em estabelecer uma relação entre a forma da obra de arte e a cultura, criando assim uma nova forma de narrativa calcada na experiência cultural e não na experiência social.

               ____________________________________________

Autoria              -                Orientação         -      Grau   -   Local   -  Data

MANIERI, Dagmar                 Marco Anotnio Villa    Dr.       UFSCarlos   2004

Título: Macunaíma trágico: a modernização brasileira em Mário de Andrade.

Sinopse: O objetivo dessa tese de doutorado é estudar o tema da modernização brasileira em Mário de Andrade, tomando como material de pesquisa seus escritos e, principalmente, Macunaíma sua grande criação cultural romanesca. Obra complexa que apresenta todo um passado de exegese, Macunaíma é um bom exemplo de como uma obra de arte pode interpretar com sucesso um objeto concreto, social, historicamente determinado. Mas é uma interpretação mediada pela visão do mundo do autor. Daí a importância de se resgatar todo o significado que ela comporta e que permanece válida ainda hoje, já que as expectativas otimistas do autor não se concretizaram.

                ____________________________________________

Autoria              -                Orientação         -          Grau  -  Local -  Data

GOMES, Denise Pedroso    Maria Rita de A. Toledo    Ms.       PUC/SP  2008

Título: O Departamento Municipal de Cultura de São Paulo (1935-1938): políticas de criação de bibliotecas e democratização de leitura

Sinopse: O presente trabalho, de natureza histórica, analisa as políticas públicas de criação de bibliotecas do Departamento Municipal de Cultura de São Paulo em 1935 -1938. Período em que Mário de Andrade esteve à sua frente e instituiu o programa de expansão de bibliotecas públicas na cidade de São Paulo. O objetivo do Departamento de Cultura não era somente incrementar a geração de bens culturais, mas fazê-los circular, o que explica a proposta de criação de bibliotecas populares que deveriam funcionar como um serviço a fim de orientar o povo em suas leituras e assim, contribuir para a divulgação do hábito de ler. Considerando então, a importância das bibliotecas públicas na democratização da leitura, este estudo procura compreender como as políticas públicas de criação de bibliotecas compõem repertórios e prescrevem práticas de leitura a partir da formação de acervos e busca entender a representação de democratização da leitura que o programa de expansão de bibliotecas públicas do Departamento Municipal de Cultura sustentava no período delimitado, bem como a representação que possuíam da formação de leitor. Esta pesquisa também busca entender como a Biblioteca Infantil se constituiu no espaço de materialização das práticas e dos rituais de leitura idealizadas pelo Departamento de Cultura, ao menos no tocante às representações de leitura para a infância e para a juventude

               ____________________________________________

Autoria              -                Orientação         -          Grau  -  Local -  Data

PELLEGRINI, Fabiana C.      Jorge Schwartz                  Ms.       USP    2008 

Título: O artista e sua época: estudo comparado entre Mário de Andrade e José Carlos Mariátegui

Sinopse: Este trabalho tem como intuito o estudo comparado entre Mário de Andrade (1893 - 1945) e José Carlos Mariátegui (1894 - 1930), através de seus textos críticos sobre arte e literatura. A proposta para o desenvolvimento deste estudo centrou-se na análise do projeto estético e ideológico destes autores para que, a partir desta prerrogativa, pudéssemos indagar sobre o papel do artista e do intelectual frente a sua época. No primeiro capítulo desta dissertação abordamos a relação entre Mário de Andrade e José Carlos Mariátegui perante o modernismo brasileiro e peruano. No segundo, tratamos da dicotomia entre a tradição e a modernidade, através de um \"método moderno\" de observação crítica da arte e da literatura, comum a ambos os autores. No terceiro capítulo desenvolvemos uma comparação entre os preceitos advindos das vanguardas européias junto a dois artistas latino-americanos: Candido Portinari e José Sabogal. Por fim, procuramos examinar as condições nas quais o artista e o intelectual desenvolvem suas obras e o conceito de mediação decorrente de suas atuações.

                ____________________________________________

Autoria              -                   Orientação      -          Grau  -  Local -  Data

PIRES, Gilsamara M. Robert    Helena Tânia katz          Ms    PUC/SP  2000

Título: Macunaíma somos nós - Mário de Andrade: da literatura para a dança

Sinopse: Descreve as várias etapas de um processo de trânsito criativo entre dança e literatura a partir da obra em questão. Para colaborar com o entendimento deste trânsito como um processo de comunicação foram elencados quatro temas: o conceito de crise, o tempo do ócio como tempo criador, o corpo antropofágico e a reconhecibilidade como aptidão evolutiva. Esta dissertação registra também a história do Grupo de Dança-Teatro Gestus, de Araraquara, até então não escrita, por ter sido ele o "laboratório" das experimentações coreográficas responsáveis pelas várias transposições da obra literária para a dançajfodos os envolvidos neste percurso foram co-criadores e participaram também como colaboradores efetivos na elaboração desta dissertação. A importância de escrever aqui a história dos 10 anos do Grupo de Dança- Teatro Gestus, viaja pelo rio de fomento da memória nacional, colaborando para imprimir nele algo de nossa cultura que estaria ameaçado de desaparecimento. A hipótese central, que permeia a pesquisa e coloca em diálogo todos os temas abordados, é a de que somos todos macunaímas, isto é, protagonistas de urna cultura que mixa a ociosidade e a criatividade, assim como o próprio personagem Macunaíma. Antropófagos dos saberes nacionais e estrangeiros, agimos como misturadores e rearranjadores de influências culturais que resultarão numa eclética e sofisticada rede artística de criadores. A dança é apresentada na pesquisa como um sistema capaz de dialogar com outras linguagens, especificamente com a da literatura. A dança pode estabelecer vínculos comunicativos com as deulais áreas do conhecimento e a Teoria Evolutiva pode colaborar com a compreensão desse processo

               ____________________________________________

Autoria              -                Orientação         -          Grau  -  Local -  Data

ARAÚJO, Gislene Silva de     Maria A. Junqueira             Ms.    PUC/SP   2005

Título: Macunaíma e as faces da crítica

Sinopse: Diante dos inúmeros olhares acerca de Macunaíma, a presente dissertação tem como objetivo organizar e elaborar uma reflexão sobre parte da fortuna crítica (de 1928 até 1970) da referida obra. Partindo das concepções críticas elaboradas nessas décadas, pergunta-se: é possível detectar a existência de um processo evolutivo-transformativo na crítica sobre Macunaíma? Como se deu o processo de transformação do pensamento crítico sobre a obra? Este trabalho visa destacar as idéias centrais dos textos elencados; estabelecer, por meio de um estudo correlacional, pontos convergentes entre eles; e demonstrar a existência de um processo de transformação na crítica em questão. Diante da problemática e dos objetivos propostos, levantaram-se como hipóteses: o confronto entre as concepções críticas de diferentes décadas sobre Macunaíma demarca a existência de um processo evolutivo-transformativo dessa crítica; as realidades teórico-literárias e as contextuais estão em relação direta com as variações das concepções crítico-analíticas; os princípios estruturadores de Macunaíma apreendidos pela fortuna crítica são fontes que esclarecem as modificações do pensamento crítico acerca da obra, dada a resistência do objeto em julgamento. Entre outras conclusões, confirma-se a existência de um processo transformativo na recepção crítica de Macunaíma, verifica-se a variação dessa crítica de acordo com as experiências particulares de cada leitor. Apreende-se, ainda, que as inúmeras reflexões a respeito da polifábula, presentes na fortuna crítica, simultaneamente agigantam e renovam Macunaíma, trazem à baila sua riqueza composicional e suas infinitas facetas, tornando-o sempre atual

                ____________________________________________

Autoria              -                Orientação         -          Grau  -  Local -  Data

SAMPAIO, Jackson de C.   Berenice O. Cavalcante        Dr.    PUC/RJ    2004

Título: O MODERNISMO PARADOXAL DE MÁRIO DE ANDRADE

Sinopse: O objetivo central desta tese é demonstrar que o modernismo defendido e professado por Mário de Andrade foi conservador, conformista, e que como conseqüência de sua liderança e atuação como defensor da arte nacionalista, oímpeto vanguardista que impulsionou o movimento nos seus primórdios arrefece e se conforma, com novas roupagens, aos padrões estéticos conservadores de então. Ao mesmo tempo, se propõe a mostrar como, através de uma historiografia emgrande parte comprometida com o movimento, se constituiu a imagem de que o modernismo brasileiro foi uma movimento de vanguarda e o criador da verdadeira cultura brasileira.

                 ____________________________________________

Autoria              -                Orientação         -          Grau  -  Local -  Data

RAMOS Jr., José de Paula    Diléa Zanotto Manfio         Dr.         USP   2006

Título: A fortuna crítica de Macunaíma: primeira onda (1928-1936)

Sinopse: Esta tese propõe uma leitura da recepção crítica de Macunaíma no período circunscrito entre 1928 e 1936, correspondente à vigência da edição príncipe da rapsódia de Mário de Andrade. A análise de vinte e quatro pronunciamentos, recuperados na quase totalidade em fontes primárias, ressalta a contribuição de cada um e demonstra como os juízos estéticos expedidos se associam a perspectivas ideológicas nacionalistas em vigor no momento em que o modernismo estava no auge e buscava respostas estéticas e culturais - mas com implicações sociais ou mesmo políticas - para problemas decorrentes do processo histórico de modernização do Brasil. O confronto de opiniões da crítica com pronunciamentos de Mário de Andrade, contidos na correspondência privada ou textos publicados (em que há menção a Macunaíma, bem como a temas discutidos ou juízos expedidos nas recepções), constitui um diálogo de múltiplas vozes, cuja análise revela a coincidência das posturas críticas adversas com as principais matrizes ideológicas nacionalistas conservadoras (Alceu Amoroso Lima, Graça Aranha e Gilberto Freyre), enquanto as posturas favoráveis se aproximam do modernismo de resistência implícito na rapsódia. O exame dos pronunciamentos de Mário esclarece, também, a relação entre Macunaíma e o projeto modernista do próprio autor: a rapsódia é concebida, sobretudo, como obra de arte, fato estético de linguagem e, não obstante, realização máxima de \"literatura de circunstância\", associada às noções andradianas de \"primitivismo\" e de \"nacionalismo crítico\" (cosmopolita).

                ____________________________________________

Autoria              -                Orientação         -          Grau  -  Local -  Data

RODRIGUES, Leandro Garcia   Matildes D. dos Santos   Ms.   PUC/RJ   2003

Título: UMA LEITURA DO MODERNISMO: CARTAS DE MARIO DE ANDRADE A MANUEL BANDEIRA

Sinopse: Esta dissertação tem o objetivo de fazer uma leitura do Modernismo Brasileiro através da correspondência recíproca de Mário de Andrade e Manuel Bandeira. Busca compreender a construção do movimento sob o olhar atento desses dois poetasmissivistas e perceber como esse intercâmbio epistolar proporcionou a formulação de teorias e conceitos hoje considerados canônicos, mas que na época suscitaram polêmicas e rupturas recebendo, por esta razão, a alcunha de vanguardistas ou futuristas.

                 ___________________________________________

Autoria              -                Orientação         -          Grau  -  Local -  Data

GONÇALVES, Luciana A.    Julio Cesar V. Diniz             Dr.      PUC/RJ  2006

Título: UM GRITO CHAMADO DESEJO: A VOZ NA CRIAÇÃO POLIFÔNICA DE MÁRIO DE ANDRADE

Sinopse: Esta tese é um desdobramento e aprofundamento da investigação sobre a voz como objeto da pulsão, tema do meu livro A voz na psicanálise - Um sopro de vida. O presente trabalho constata que a psicanálise, a literatura e a arte trágica sãoinstrumentos de interpretação das mesmas questões fundamentais da condiçãohumana e busca depreender que os conceitos de voz, tragédia, polifonia, carnavalização e transfiguração podem ser articulados, principalmente a partir dasobras de Freud, Nietzsche e Bakhtin. O resultado constitui uma reflexão sobre odesejo e a criação literária na Modernidade a partir do dialogismo de vários autores. Enquanto produção artística polifônica Amar, verbo intransitivo, obra de Mário de Andrade, foi o instrumento de leitura das contraditórias inscrições do desejo na subjetividade moderna.

                ____________________________________________

Autoria              -                Orientação         -          Grau  -  Local -  Data

GOBBI, Marcia A.         An Lucia Goulart de Faria          Dr.   UNICAMP 2004

Título: Desenhos de outrora, desenhos de agora : os desenhos de crianças pequenas do acervo de Mario de Andrade

Sinopse: A pesquisa focaliza os desenhos de crianças com idade entre dois anos e meio e seis anos pertencentes ao acervo de Mário de Andrade, encontrado no Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo. Estes desenhos compõem conjuntos: os desenhos doados por filhos de amigos, aqueles realizados na Biblioteca Municipal, que não são analisados por mim nesta tese, e a maior parte deles criados para o concurso de desenhos,. idealizado por Mário de Andrade e realizado entre as crianças dos Parques Infantis quando era diretor do Departamento de Cultura do Município de São Paulo. Os desenhos são elevados ao status documental - devido a sua importância e ao desejo de que possuamos documentos produzidos pelas crianças que as revelem também a partir do que são e não apenas do que o adulto gostaria que fossem - não são concebidos como retratos da realidade, mas sim como suportes da inventividade das crianças. Arte, pedagogia e história estão presentes no estudo destes desenhos num diálogo fecundo que se propõe a colaborar na construção de outras formas de ver esta criação das crianças. Os Parques Infantis, concebidos nesta tese, como territórios da infância - locais em que foram criados a maioria dos desenhos apresentados nesta tese - é afirmado como uma expressão do modernismo, em sua fusão entre os aspectos estéticos e ideológicos. O objetivo é a contribuição com a construção de uma Pedagogia que considere as especificidades das crianças de O a 6 anos, tendo suas dimensões humanas construídas e vividas em sua inteireza, sendo a arte concebida como um dos fundamentos da educação infantil

               ____________________________________________

Autoria              -                Orientação         -          Grau  -  Local -  Data

BARROS, Maria F.E.       Adriana Giarola Kayama         Ms.    UNICAMP  2005

Título: Waldemar Henrique : folclore, texto e musica num unico projeto - a canção

Sinopse: Boa parte da obra de Waldemar Henrique é construída sobre temas folclóricos e isso se deve tanto à sua origem quanto à influência do pensamento da época, através de Mário de Andrade e suas idéias sobre a canção erudita ?nacional?. característica folclórica da obra de Waldemar Henrique nos levou a escolher para uma aproximação de sua obra, através do processo de análise, um conjunto de sete canções, todas elas compostas tendo como tema lendas amazônicas. compositor, através de depoimentos e de sua obra, transparece uma grande preocupação com a relação do texto com a música, na utilização dessa linguagem que se constrói na junção de um componente lingüístico e outro musical, que é a canção. Pela forte interação entre estes dois componentes em suas canções, o foco do nosso ?olhar? nas análises apresentadas está direcionado, prioritariamente, para esta relação. As análises têm sua base teórica no modelo desenvolvido por Luiz Tatit para a análise da canção popular

                ____________________________________________

Autoria              -                Orientação         -          Grau  -  Local -  Data

SCHNEIDER, Marta Inês     Celia Maria de C. A.          Ms.    UNICAMP  2002

Título: A arte e feita com sangue, espirito e tumulto de amor" : um estudo das reflexões de Mario de Andrade sobre arte e educação

Sinopse: Mário de Andrade foi um dos primeiros intelectuais brasileiros a interessar-se pelo desenho da criança. Foi, também, um dos pioneiros na reflexão sobre arte e educação. Sobre este tema, teceu inúmeras considerações, ainda que dispersas em seus múltiplos escritos. Ao investigar parte da obra de Mário de Andrade, inventariei suas concepções a respeito da arte e da arte na educação, subjacentes em muitos de seus estudos sobre estética, criação artística e desenho infantil, com o objetivo de buscar contribuições de suas reflexões para o ensino de arte, hoje. A pesquisa permitiu a elaboração de algumas considerações que mostram a pertinência e atualidade do pensamento de Mário de Andrade sobre questões relacionadas à arte e à educação.

                ____________________________________________

Autoria              -                Orientação         -          Grau  -  Local -  Data

TEIXEIRA, Mauricio C.     Carlos G.Machado Neto         Dr.        USP   2007

Título: Torneios melódicos: poesia cantada em Mário de Andrade

Sinopse: O presente texto trata do pensamento de Mário de Andrade a respeito das relações poético-melódicas. Para isso, foi usada a hipótese dos torneios melódicos: o conjunto de tendências e constâncias que dão caráter a uma música. A partir dos torneios é possível analisar objetivamente uma composição, observar sua origem, suas influências e seu processo criativo. Porém, essa análise musical é indissociável de uma dimensão poética. Mário de Andrade era um músico que se expressava pela poesia e, em seus estudos técnicos, sempre privilegiou a unidade melódico-poética como objeto indissolúvel. A pesquisa baseou-se num manuscrito inédito do autor, que está separado em três partes intituladas Melódica, Rítmica e Poética. O documento, que se encontra no Arquivo do Instituto de Estudos Brasileiros da USP, é extremamente fragmentado e complexo, pois é constituído por numerosas anotações que o autor fez ao longo da vida.

                ____________________________________________

Autoria              -                Orientação         -          Grau  -  Local -  Data

RIBEIRO, Monica C.         Fernanda Peixoto                 Ms.   UNICAMP  2005

Título: Arqueologia modernista : viagens e reabilitação do primitivo em Mario e Oswald de Andrade

Sinopse: Este trabalho pretende desvendar a importância das viagens na vida e na obra de Mário e Oswald de Andrade na década de 1920. Mais ainda, como as viagens mostraram-se uma importante força formadora e transformadora do modernismo desses dois autores ? e na verdade do modernismo paulistano e brasileiro ? no mesmo período e como foram determinantes para os rumos de Mário e Oswald na década seguinte. Estas questões são alinhavadas a partir do delicado acontecimento do contato com o outro? entendido aqui, fundamentalmente, como possibilidade de reavaliação e de contato consigo mesmo. A análise é feita a partir das cartas trocadas entre Mário de Andrade e Carlos Drummond de Andrade, Manuel Bandeira e Câmara Cascudo, e também a partir de artigos e entrevistas de Oswald de Andrade. Os depoimentos dos dois modernistas são cruzados com as obras de sua autoria concebidas na década de 1920, tudo isso analisado à luz das viagens e das tentativas de reabilitação do primitivo empreendidas pelo modernismo

               ____________________________________________

Autoria              -                Orientação         -          Grau  -  Local -  Data

MELLO, Neide Moraes de   Cicero R.R. de Araujo         Dr.        USP   2007

Título: Intelectuais na vida pública: Mário de Andrade e Monteiro Lobato

Sinopse: Este trabalho compara a atuação e a vida pública de dois intelectuais que tiveram um papel de destaque em meio às discussões que trataram da modernização do Brasil, bem como compara os projetos de país com os quais se envolveram durante as décadas de 20 e 30. A partir da análise das atividades do Departamento de Cultura da prefeitura paulistana entre 1934 e 38 chefiada pelo modernista Mário de Andrade e da vida e obra do escritor e editor Monteiro Lobato, pretende-se avaliar a postura que assumiram diante da modernização inexorável de uma sociedade agrária e exportadora como a brasileira, de reação e defensiva por arte do primeiro, e de adesão ativa ao modelo norte-americano de sociedade afluente a de mercado interno pelo segundo. Defende também que a coerência interna do modelo proposto por Lobato frutificou tanto na esfera pública, tendo o Estado assumido várias de suas bandeiras como a causa da siderurgia e do petróleo, quanto entre os indivíduos, na medida em que a \"pedagogia desenvolvimentista\" que elaborou, se não chegou a resultados materiais expressivos, a formação embutida nela engendrou a geração de militantes políticos das mais audaciosos que já houve no país, encorajando-os indiretamente à ação armada.

                ____________________________________________

Autoria              -                Orientação         -          Grau  -  Local -  Data

FIGUEIREDO, Priscila L.G.   Vagner Camilo                    Dr.        USP    2006

Título: Macunaíma: enumeração e metamorfose

Sinopse: Este trabalho consiste num estudo sobre o romance Macunaíma, de Mário de Andrade. Ele procura investigar o estilo enumerativo da obra. A intenção é relacionar tal procedimento, que toma sobretudo objetos da natureza brasileira, ao atraso material e cultural e à tentativa de preencher tal lacuna. Busca-se ainda interpretar as constantes metamorfoses ontológicas como um desdobramento desse estilo e do sentido a que ele dá forma

                   ______________________________________

Autoria              -                     Orientação        -      Grau  -  Local - Data

MORAES, Ricardo Gaiotto     Luiz Dagobert A.R.           Ms.    UNICAMP 2007

Título: Mario de Andrade no Diario de Noticias : o metodo e a critica circunstancial

Sinopse: Os anos de 1939 e 1940 marcam não só o "exílio" de Mário de Andrade no Rio de Janeiro, mas também uma nova etapa em sua atividade intelectual: a crítica de circunstância. Entre março de 1939 e setembro de 1940, com periodicidade semanal, o autor de Macunaíma passa a ser responsável pela coluna "Vida Literária" no jornal carioca Diário de Notícias. Os artigos desta coluna foram publicados em livro de maneira esparsa em Aspectos da Literatura Brasileira (1943) e O Empalhador de Passarinho (1944), ambos organizados pelo próprio autor, e em Vida Literária (1993), livro comentado e reunido por Sonia Sachs. A partir da leitura do conjunto da coluna "Vida Literária", pode-se perceber que a crítica não se estabelece por uma entrada obrigatória e metódica para os diferentes gêneros literários, mas sim pela mobilização de certas categorias que, muitas vezes, perpassam vários artigos. Longe de estabelecer um critério fechado, essas categorias permitem flagrar não só as preocupações do crítico em relação à produção literária contemporânea, mas também as elaborações estéticas caras a ele. Nesse sentido, o fio condutor da crítica parece ser a tentativa de identificar a realização daquilo que considera o essencial da obra literária, ou seja, a técnica. Esta preocupação aparece também em sua atividade de professor do ?Curso de Filosofia e História da Arte?, na Universidade do Distrito Federal. A crítica de ?Vida Literária? tem notável repercussão entre os autores contemporâneos, o que, em parte, já aponta seu caráter polêmico e, em certo medida, didático. Assim, por meio de uma criteriosa análise da contribuição de Mário de Andrade na coluna em questão, buscou-se tratar das linhas mestras da crítica, levando-se em consideração a especificidade do rodapé literário, a totalidade de textos críticos do autor, outros estudos estéticos ? como as aulas do curso supracitado ? e o respectivo panorama literário

                ____________________________________________

Autoria            -                   Orientação         -          Grau  -  Local - Data

PAULA, Rosângela Asche   Therezinha A.P Ancona L      Dr.       USP   2007

Título: O expressionismo na biblioteca de Mário da Andrade: da leitura à criação

Sinopse: O objetivo desta tese é trabalhar os indícios da leitura do expressionismo alemão feita por Mário de Andrade, vinculados a um diálogo que implica apropriação, ou seja, a criação poética ou teórico-estética do modernista brasileiro, vinculada ao \"Prefácio interessantíssimo\", a poemas de Paulicéia desvairada, à poesia em Losango cáqui e em Clã do jabuti, bem como à poética traçada em A escrava que não é Isaura. Pesquisa que se inscreve no estudo de biblioteca de escritores, na crítica genética, inclina-se sobre o diálogo intertextual que as notas autógrafas, nas margens de obras, e a leitura não anotada instaura. A tese compõem-se de duas partes. A primeira, o ensaio, explora o encontro e o débito da criação de Mário de Andrade com poetas na antologia Menschheitsdämmerung, e com os teóricos do movimento Worringer, Pinthus, Landsberger e Schreyer. A segunda, uma edição eletrônica (CD-ROM) apresenta, em fac-símile, o conjunto das leituras e das anotações do escritor/leitor, acompanhado da transcrição diplomática dessas notas e de dados históricos a respeito de autores, livros e revistas do expressionismo.

                      ______________________________________

Autoria                -              Orientação         -          Grau  -  Local -  Data

SILVA, Sandra Alves da     Neusa M.O.B.Bastos            Ms.    PUC/SP  2002

Título: A gramatiquinha de Mário de Andrade: uma leitura historiográfica

Sinopse: Este trabalho tem como tema o estudo da Gramatiquinha de Mário de Andrade: numa leitura historiográfica. Inserindo-se na linha de Pesquisa Descrição e História da Língua Portuguesa, apresenta-se como fruto das pesquisas realizadas no Instituto de Pesquisas Lingüísticas Sedes Sapientiae para Estudos do Português, especificamente no Grupo de Pesquisa Historiografia da Língua Portuguesa. Fundamenta-se nos princípios teórico-metodológicos de Konrad Koerner e baliza-se nas seguintes perguntas de pesquisas: 1) em que medida a abordagem de Mário de Andrade acerca dos pronomes se distancia da gramática de Said Ali? 2) até que ponto as considerações Márioandradianas na Gramatiquinha foram utilizadas nas cartas, nos textos teóricos do mesmo autor? 3) que aspectos da colocação pronominal de Celso Cunha diferem das de Mário de Andrade e Said Ali? 4) que reflexões podemos fazer sobre a colocação dos pronomes na fala brasileira durante a década de 20? A partir das perguntas de pesquisas elencadas, apresentam-se os objetivos: 1) investigar a abordagem dos pronomes na ótica de Mário de Andrade, na década de 20; 2) comparar as explicações sobre pronomes, postuladas na Gramática Secundária de Said Ali e sua aproximação com a colocação pronominal de Mário de Andrade, no que se refere à fala brasileira; 3) identificar a opinião de Celso Cunha, no que se refere à colocação pronominal, tomando como ponto de comparação a postura sugerida por Mário de Andrade. As análises pautam-se nas categorias a seguir: a) aspectos da brasilidade; b) aspectos lingüístico-gramaticais da abordagem pronominal e trazem como resultado o delineamento de uma postura em relação ao uso de pronomes concorde com a fala brasileira, ou seja, o escritor considera que os falantes da língua portuguesa no Brasil deveriam formular suas próprias regras, uma vez que ninguém erra na colocação dos pronomes, todos, simplesmente, os utilizam, havendo aqueles que seguem as regras da gramática apenas em situações formais. Esse posicionamento diverge dos postulados de Said Ali e Celso Cunha, pois Mário de Andrade ateve-se ao uso coloquial dos brasileiros para a sua descrição, sem ter a intenção de escrever uma gramática normativa voltada para a norma padrão culto

                ____________________________________________

Autoria              -               Orientação         -            Grau  -  Local - Data

RIBEIRO, Silvia A. R.      Maria José P.G. Palo                Ms.    PUC/SP  2005

Título: Macunaíma e a cidade de São Paulo: caminhos mutantes

Sinopse: O romance Macunaíma, de Mário de Andrade, nos revelou uma nova possibilidade de leitura: Macunaíma e a cidade de São Paulo: caminhos mutantes. Entendemos o termo mutação no sentido de mudança, aquilo que muda e se altera constantemente. O objetivo deste trabalho é evidenciar que a mutação é o elo estrutural entre o romance Macunaíma e a cidade de São Paulo. Ela é a reveladora do contínuo processo de atualização dos dois objetos inseridos no romance: a personagem e a cidade. Como conseqüência, pretendemos demonstrar, no romance Macunaíma, o germe de mutação em qualquer tempo e espaço, visto que, tanto a personagem-herói quanto a personagem-cidade estão em permanente processo de atualização. No primeiro capítulo, abordamos o contexto histórico-cultural dos anos 20, período revelador do projeto estético e ideológico de Mário de Andrade e suas premissas. No segundo capítulo, buscamos apoio em estudiosos tais como: Nicolau Sevcenko e Gaston Bachelard para construir uma analogia entre a linguagem mutante do romance e o insólito rio Tietê, que pode ser visto como parâmetro da construção histórico-cultural da cidade de São Paulo. Teóricos como Claude Lévi-Strauss, Haroldo de Campos, entre outros, foram fundamentais para o estudo e a explanação da presença e o significado do mito em Macunaíma. No terceiro capítulo, traçamos um paralelo entre as mutações da personagem Macunaíma e as mutações da cidade de São Paulo, à luz dos conceitos do flâneur, de Charles Baudelaire e do dérive, de Michel de Certeau. No último capítulo, sob os conceitos de Mikhail Bakhtin, entre outros, abordamos o aspecto do discurso polifônico das mutações que nos revelou que Macunaíma é um romance cuja principal característica é não se fechar em um único aspecto, sua memória inventiva se constrói sob a intertextualidade e a mutação, pilares da estética de Macunaíma e da cidade de São Paulo
                      ____________________________________

Autoria              -              Orientação            -          Grau  -  Local - Data

MELLO, Thiago A.R.G.T.   Elizabeth T. Lins                    Ms.     PUC/RJ  2007

Título: DA MPB DO POVO ÀS COMUNIDADES NA MÚSICA POPULAR

Sinopse: O trabalho compara concepções de música popular, nação e camadaspopulares desenvolvidas em dois períodos da música popular brasileira: o demeados dos anos 1960, em que se construiu a idéia de MPB, e o atual,caracterizado por sonoridades oriundas das periferias de grandes cidades, muitasvezes denominadas comunidades por seus habitantes. Partindo das categoriasmusicais de Mário de Andrade criadas na década de 1920, analiso o contexto deformação da MPB como um momento de desenvolvimento do populário, emque se propôs uma estética que expressasse musicalmente o Brasil. Em 67, aTropicália, questionando os fundamentos do projeto nacional-popular, ensejououtra proposta de representação do país, ao reunir repertórios locais eglobais. Contemplando mudanças nas interpretações sobre música popular,nação e camadas populares, contrasto a produção da MPB dos anos 60 com aobra mais recente de Chico Buarque, o Cd Carioca, de 2006, através de suaassimilação de ritmos e segmentos da cena musical brasileira contemporânea,especialmente o hip-hop, o manguebeat e os sons eletrônicos.

                ____________________________________________

Autoria              -             Orientação             -          Grau  -  Local - Data

RICHTER, Vanusa C.P.   Marcia Ivana de L. S.                Ms.   UFRGS  2004

Título: Híbrida, mas não caótica, a literatura brasileira é

Sinopse: A realização deste trabalho tem como norte a verificação de questões típicas de países periféricos colonizados, como a busca identitária imbricada num processo de hibridação cultural. Para tanto, trabalhamos com duas obras consagradas da literatura brasileira: Iracema, de José de Alencar, e Macunaíma, de Mário de Andrade, vinculando as mesmas a seus períodos literários correspondentes e, estes, ao meio social e político, numa abordagem que privilegia a sociologia da literatura, em que a obra de Antonio Candido, especialmente, serve de base teórico-prática para a realização desta pesquisa. Nesse contexto, achamos interessante, também, verificar como o indianismo de Alencar, trabalhando numa perspectiva pós-colonial e imbuído de um sentimento patriótico e mitificador do índio e da natureza, faz com que a literatura brasileira integre-se às literaturas européias. E, ainda, com que estratégias Macunaíma consegue inverter esteticamente a visão etnocêntrica tradicional e trabalhar com a capacidade crítica de selecionar o que não é do autóctone mas que nos interessa, tingindo esta ação seletiva e seu produto com as cores locais para torná-los dignos representantes de nosso sincretismo racial e cultural. Assim, através de uma postura crítico-sociológica, damos início a uma caminhada pelo viés literário e verificamos que este revelou a hibridação cultural própria do povo brasileiro, ultrapassando preconceitos etnocêntricos, aparentemente sólidos, e mostrando que o caldeamento de raças e, conseqüentemente de crenças e costumes, não deve ser olhado sob a ótica da anomalia mas, sim, sob a luz da fertilidade. Desse modo, as obras analisadas, apesar de possuírem estéticas singulares e pertencerem a quadros sócio-políticos distintos, apresentam em sua essência um compromisso literário maior: fazer uma ficção representativa da realidade cultural brasileira.

                    ______________________________________

Autoria                 -                Orientação     -           Grau  -  Local - Data 

RIAVIZ, Vanessa Nahas         Ana Luiza Andrade         Dr.       UFSC   2004

Título: Rastros freudianos em Mário de Andrade

Sinopse: A presente tese aborda as relações entre Mário de Andrade - leitor de Freud - e a psicanálise, ou seja, o uso feito pelo escritor de  conceitos e noções psicanalíticas. Ao incorporar a psicanálise aos seus estudos sobre o folclore, Mário lança mão dos termos psicanalíticos recalcamento e sublimação, criando uma tradução própria que recobre, aproximadamente, a extensão de tais noções: seqüestro. Além deste termo, outros três são destacados da obra de Mário de Andrade como termos psicanalíticos e/ou articuláveis com a psicanálise: libido, loucura e inconsciente. Percorrendo as vias freudiana e lacaniana dos conceitos, destacamos trechos da obra do escritor nos quais surgem os temas em questão. A tese desenvolve-se em duas direções: por um lado, busca a psicanálise lida e interpretada por Mário de Andrade, e por outro, através da psicanálise, num exercício crítico, constrói leituras possíveis para alguns críticos dos seus textos. Este percurso psicanalítico por textos do escritor perfaz o que chamamos de rastros freudianos em Mário de Andrade

 



- Por que escrevo?
- Como escrevo?

- Onde escrevo?

- Política

- Música

- Crítica literária
- Relações literárias

- Entrevista 1 (1945)

- Entrevista 2 (1939)

- Biografia